Papa elogia cardeal Pell por perseverar em tempos de provações pessoais

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco elogiou nesta quarta-feira o falecido cardeal australiano George Pell por perseverar em tempos difíceis, uma referência a quando ele passou mais de um ano na prisão por acusações de abuso sexual infantil antes de ser totalmente absolvido.

Francisco, em uma mensagem em italiano enviada ao reitor do Colégio dos Cardeais, também agradeceu a Pell, que atuou como ministro da Economia da Santa Sé, por lançar as bases para a reforma financeira no Vaticano com “determinação e sabedoria”.

Pell, um importante conservador católico, morreu na noite de terça-feira em Roma de parada cardíaca enquanto estava em um hospital para uma cirurgia de substituição do quadril. Ele tinha 81 anos.

Francisco chamou Pell, que sempre manteve sua inocência, de "servo fiel que, sem vacilar, seguiu seu Senhor com perseverança mesmo na hora da provação".

O papa disse estar grato pela dedicação "coerente e comprometida" de Pell à Igreja.

Fontes da Igreja em Roma disseram que o corpo de Pell deve estar em uma capela lateral na Basílica de São Pedro antes da missa de réquiem, que deve ocorrer na sexta-feira.

A Rede de Sobreviventes dos Abusados ​​por Sacerdotes (Snap, na sigla em inglês), um grupo de defesa das vítimas de abuso sexual do clero, pediu ao Vaticano em um comunicado que mostre "contenção" nos preparativos para o funeral "a menos que a hierarquia da Igreja queira aprofundar feridas já profundas".

Uma decisão do tribunal de apelações australiano em 2020 anulou as condenações de que Pell agrediu sexualmente dois meninos de coro na década de 1990.

Isso permitiu que Pell saísse em liberdade após 13 meses na prisão, encerrando o caso da figura mais importante acusada no escândalo global de abuso sexual histórico que abalou a Igreja Católica Romana em todo o mundo.

Mesmo antes das acusações de agressão sexual, Pell era uma figura polêmica nas duas décadas em que dominou a hierarquia católica australiana, reverenciado por católicos conservadores por sua firme oposição ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e à ordenação de mulheres.

(Reportagem de Philip Pullella; Reportagem adicional de Sonali Paul em Melbourne)