Papa espera que muitos países acolham refugiados afegãos; defende educação a jovens

·1 minuto de leitura

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O Papa Francisco disse neste domingo que reza para que muitos países acolham refugiados vindos do Afeganistão, e, em uma aparente referência às restrições aplicadas pelo Taliban à escolarização das mulheres, afirmou que é essencial que os jovens tenham acesso à educação.

"Nestes momentos de agitação, em que os afegãos buscam refúgio, rezo pelos mais vulneráveis entre eles", disse o Papa a centenas de pessoas na Praça de São Pedro.

Milhares de afegãos retirados pelos Estados Unidos esperam nos chamados centros de trânsito, em países como Catar, Alemanha e Itália. Outros milhares estão tentando sair do país através de fronteiras terrestres com países vizinhos como o Paquistão.

"Também rezo pelos deslocados internamente, para que tenham ajuda e a proteção necessária. Que os jovens afegãos recebam uma educação, que é um bem essencial para o desenvolvimento humano", disse Francisco.

A última vez que os militantes islâmicos estiveram no poder no Afeganistão, as mulheres não eram permitidas a trabalhar e as meninas não podiam ir à escola.

O Papa Francisco ainda ofereceu suas orações e condolências neste domingo pelas vítimas do furacão Ida, que matou dezenas de pessoas nos Estados Unidos.

(Reportagem de Philip Pullella)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos