Papa espera que viagem ao Canadá ajude a curar o “mal” contra indígenas

Papa Francisco se encontra com delegações indígenas do Canadá no Vaticano

Por Philip Pullella

(Reuters) - O Papa Francisco disse neste domingo que sua viagem ao Canadá na próxima semana será uma “peregrinação de penitência” que ele espera que possa ajudar a curar os erros cometidos contra indígenas por padres e freiras da Igreja Católica Romana que administravam escolas residenciais abusivas.

A viagem, entre 24 e 30 de julho, incluirá pelo menos cinco encontros com povos nativos. Francisco está cumprindo a promessa de pedir desculpas no território natal deles pelo papel da Igreja em escolas sancionadas pelo Estado que tentaram erradicar culturas indígenas.

“Infelizmente, no Canadá, muitos cristãos, incluindo alguns membros das ordens religiosas, contribuíram com políticas de assimilação cultural que no passado danificaram gravemente as populações nativas de várias maneiras”, disse Francisco, em um discurso semanal ao público na praça São Pedro.

Cerca de 150.000 crianças foram levadas de suas casas. Muitas foram sujeitas a abuso, estupro e desnutrição, no que a Comissão da Verdade e Reconciliação do Canadá chamou em 2015 de “genocídio cultural”.

O objetivo declarado das escolas, que operaram entre 1831 e 1996, era assimilar crianças indígenas. Elas eram administradas por denominações cristãs em nome do governo, a maioria pela Igreja Católica.

As escolas estiveram no centro de discussões entre o Papa e povos indígenas no Vaticano em março e abril. Relembrando as conversas, Francisco disse neste domingo que havia expressado “minha dor e solidariedade pelo mal que eles sofreram”.

(Reportagem de Philip Pullella)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos