Reino Unido irá erigir estátua para sufragista Millicent Fawcett

Londres, 2 abr (EFE).- A sufragista Millicent Fawcett (1847-1929), que desde 1866 liderou uma campanha para obter o voto feminino no Reino Unido, será a primeira mulher a ser reconhecida com uma estátua diante do parlamento britânico, confirmou neste domingo o governo conservador.

A primeira-ministra, Theresa May, disse que é "correto e adequado" que a figura de Fawcett, que liderou uma luta pacífica, em contraposição ao movimento sufragista radical liderado por Emmeline Pankhurst, seja recordada "junto a outros antigos líderes que mudaram" o país.

A estátua desta ativista, que será erigida junto à de 11 homens, entre eles o ex-dirigente sul-africano Nelson Mandela e o antigo primeiro-ministro conservador Winston Churchill, será custeada com 5 milhões de libras (5,8 milhões de euros) proporcionados pelo governo e outros fundos obtidos mediante uma arrecadação popular pela internet.

Esse monumento faz parte de vários eventos organizados para celebrar o centenário, no próximo ano, da Lei de representação do povo de 1918, que foi promulgada graças à campanha de Fawcett, entre outras pessoas, e que deu o sufrágio às mulheres maiores de 30 anos.

"O exemplo que Millicent Fawcett deu durante a luta pela igualdade continua inspirando a batalha contra as candentes injustiças de hoje em dia", declarou May.

"Sua estátua será uma recordação de que a política só tem valor se funcionar para todo mundo na sociedade", acrescentou a primeira-ministra. EFE