Papa Francisco no Bahrein para reforçar laços inter-religiosos com o Islão

O Papa Francisco partiu de Roma esta quinta-feira de manhã, pelas 09h45 (menos uma hora em Lisboa), para uma viagem de três dias ao Bahrein. É a segunda viagem do Sumo Pontífice da igreja católica pelo Médio Oriente em três anos.

Nesta viagem a um reino árabe onde residem cerca de 80 mil católicos e ainda é aplicada, por exemplo, a pena de morte, o líder da Santa Sé pretende reforçar o diálogo inter-religioso com o Islão.

A presença Francisco no Bahrein gerou grande expetativa entre alguns dos estrangeiros a residir neste reino árabe.

Francisco vai manter-se pelo Bahrein até domingo, com escalas nas cidades de Manama e Awali. As dificuldades físicas que têm vindo a limitar-lhe os movimentos, obrigam o Papa a deslocar-se de cadeira de rodas e, por isso, durante a viagem de avião rumo ao Bahrein, as dores no joelho não permitiram ao líder católico realizar a habitual ronda pelos jornalistas creditados para o acompanhar nesta viagem.

"Um a um, Um a um, repórteres e operadores de câmara foram cumprimentar o Pontífice, que lhes agradeceu pela companhia", revelou a agência "Vatican News".

Além da presença no "Fórum do Bahrein para o Diálogo: Oriente e Ocidente para a Coexistência Humana" e encontros com a comunidade católica local, a agenda do líder da Santa Sé inclui também um encontro com o Conselho de Anciãos Muçulmanos e uma reunião com o presidente desse organismo, o imã Al-Tayeb, com quem Francisco assinou em 2019 em Abu Dhabi o "Documento sobre a Fraternidade Humana".

A viagem de Francisco há três anos aos Emirados Árabes Unidos foi a primeira de um líder da igreja católica à península arábica e a celebrar ali uma missa católica.

No Bahrein , cerca de 70% da população é muçulmana, mas a convivência inter-religiosa é permitida e a pequena comunidade católica no reino, composta sobretudo por estrangeiros ali a residir, pode praticar a fé em Cristo nas duas igrejas católicas existentes no país.

Esta é a 39.ª viagem do Papa Francisco. O líder da Igreja Católica já visitou 54 países nestes quase 10 anos de pontificado. A última deslocação internacional do Sumo Pontífice tinha sido ao Cazaquistão, entre 13 e 15 de setembro, onde participou no VII Congresso de Líderes das Religiões Mundiais e Tradicionais, tendo ali anunciado esta atual digressão pelo Bahrein.