Papa põe ordem na Fábrica de São Pedro

Policial de máscara, em frente à Basílica de São Pedro de Roma, em 11 de maio de 2020

O Papa Francisco anunciou nesta terça-feira (30) a nomeação de um comissário extraordinário para pôr ordem à Fábrica de São Pedro, uma instituição encarregada de preservar as obras artísticas e arquitetônicas da Basílica de São Pedro.

Esta decisão surge após informações internas que levaram o Vaticano a recuperar documentos e computadores nos escritórios da fábrica, disse um comunicado da Santa Sé divulgado hoje.

Em 1º de junho, a Santa Sé aprovou, pela primeira vez, uma lei que regula as licitações para suas despesas internas, na tentativa de evitar a corrupção e economizar, em meio à crise financeira causada pela pandemia do novo coronavírus.

O papa Francisco nomeou o núncio apostólico (embaixador da Santa Sé) Mario Giordana como comissário extraordinário.

Sua missão será "atualizar os estatutos, esclarecer a administração e reorganizar os escritórios técnicos e administrativos da fábrica", explica a nota.

Giordana contará com a assessoria de um comitê para cumprir essa "tarefa delicada".

A Fábrica de São Pedro, que hoje conta com vários funcionários, foi criada no século XVI, após a construção da nova Basílica de São Pedro. Dela participaram Bramante, Michelangelo, Rafael, entre outros.