Papa pede diálogo e justiça para acabar com protestos mortais no Cazaquistão

·1 min de leitura

MILÃO (Reuters) - O Papa Francisco pediu neste domingo que o diálogo e a justiça ponham fim aos violentos distúrbios no Cazaquistão, acrescentando que está triste com as notícias sobre mortes no país.

"Soube, com tristeza, que houve vítimas durante os protestos que eclodiram nos últimos dias no Cazaquistão", disse o papa a centenas de pessoas na Praça de São Pedro que esperavam pela sua bênção e pela missa do meio-dia.

"Rezo por eles e por suas famílias e espero que a harmonia social seja restaurada o mais rápido possível por meio da busca pelo diálogo, a justiça e o bem comum”, disse o Papa.

As autoridades do Cazaquistão disseram neste domingo que estabilizaram a situação em todo o país após o período mais agitado e mortal em 30 anos de independência, e as tropas de uma aliança militar liderada pela Rússia já estão protegendo "instalações estratégicas".

A agência de notícias russa Sputnik citou o Ministério da Saúde do Cazaquistão dizendo que um total de 164 pessoas, incluindo duas crianças, foram mortas no Cazaquistão desde a semana passada.

As manifestações começaram há uma semana contra o aumento do preço do combustível antes de explodir em um protesto mais amplo contra o governo.

(Por Francesca Landini)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos