Papa pede proteção a civis de Mossul

Francisco chega à audiência geral na Praça de São Pedro

O Papa Francisco pediu nesta quarta-feira proteção para os civis dos bairros da zona oeste de Mossul (norte do Iraque), onde as forças iraquianas lutam contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).

"Meu pensamento está com os civis retidos nos bairros do oeste de Mossul e com as pessoas deslocadas por causa da guerra, às quais sinto-me unido no sofrimento, por meio da oração e a proximidade espiritual", declarou o pontífice durante a tradicional audiência geral de quarta-feira na Praça de São Pedro.

"Com expressão de profunda dor pelas vítimas do conflito sangrento, reitero a todos o apelo por um compromisso com todas as suas forças pela proteção de civis, obrigação imperativa e urgente", completou o papa.

De acordo com a ONU, mais de 300 civis morreram na zona oeste de Mossul desde que as tropas do governo, apoiadas pela coalizão internacional, iniciaram uma ofensiva em meados de fevereiro para expulsar o EI.

Quase 600.000 pessoas, segundo a ONU, permanecem na zona oeste de Mossul, 400.000 delas na cidade antiga, uma área de ruas estreitas com muitas casas.