Papa pede que trigo não seja usado como arma de guerra após bloqueio russo

*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 26.07.2013 - O papa Francisco. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)
*Arquivo* RIO DE JANEIRO, RJ, 26.07.2013 - O papa Francisco. (Foto: Daniel Marenco/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira (1) que o trigo não pode ser usado "como arma de guerra" após um bloqueio naval da Rússia aos portos da Ucrânia no Mar Negro, o que impede a exportação de grãos. A Ucrânia diz que 22 milhões de toneladas de grãos estão retidos.

O governo de Vladimir Putin alega que a crise está sendo causado por sanções impostas por países do Ocidente.

No final de sua audiência semanal no Vaticano, o pontífice disse estar acompanhando "com grande preocupação" a situação nos portos ucranianos e ressaltou que a vida de milhões de pessoas dependem da exportação de trigo, "especialmente entre os países mais pobres".

"Por favor, que não se use o trigo, alimento básico, como arma de guerra. Apelo de coração para que sejam feitos todos os esforços para resolver esta questão, para garantir que o direito humano universal à alimentação", afirmou o pontífice em seu discurso.

A ONU (Organização das Nações Unidas) já alertou que a situação pode provocar uma crise alimentar mundial, com a disparada dos preços de grãos no mercado internacional.

Na terça-feira (31), o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, afirmou que está trabalhando em uma "operação naval liderada pela ONU" para garantir uma rota comercial segura para exportar seus produtos agrícolas. Além disso, tanto Kiev quanto a União Europeia acusam as tropas russas de roubarem trigo ucraniano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos