Papa quer romper isolamento e acabar com estigmatização do autismo

Papa Francisco saúda a multidão, após audiência com trabalhadores de Saúde no Paul VI hall, no Vaticano, em 22 de novembro de 2014

O papa Francisco fez um apelo para romper o isolamento e pôr fim à estigmatização sofrida pelas crianças autistas e por suas famílias, ao receber milhares delas - anunciou o Vaticano em nota divulgada neste domingo.

No sábado, o chefe da Igreja Católica conversou pela primeira vez com pessoas autistas, com seus familiares e cientistas, sete mil pessoas no total, após uma conferência organizada pelo Vaticano sobre essa disfunção.

"É conveniente criar uma rede de apoio e de serviços, completa e acessível, que envolva, além dos pais, avós, amigos, terapeutas, educadores. Essas pessoas podem ajudar as famílias a superar a sensação de (...) inadaptação, falta de eficácia e frustração", acrescentou o papa.

"Trata-se de romper o isolamento e, em muitos casos, a estigmatização sobre as pessoas afetadas por problemas de autismo, assim como frequentemente sobre suas famílias", insistiu.