Papa reitera pedido de vacina contra covid-19 para os mais pobres

·1 minuto de leitura
Esta foto tirada e distribuída em 16 de dezembro de 2020 pela mídia do Vaticano mostra o Papa Francisco, em pé ao lado de um presépio de Natal, dirigindo-se a uma audiência privada semanal transmitida ao vivo da biblioteca do palácio apostólico no Vaticano, durante o COVID-19 pandemia causada pelo novo coronavírus.

O papa Francisco completou 84 anos nessa quinta-feira (17) e pediu à comunidade internacional garantias de acesso a vacina do coronavírus para "os mais pobres", em uma mensagem divulgada pelo Vaticano.

"Renovo meu pedido aos políticos e ao setor privado para que adotem medidas adequadas que garantam aos mais pobres e frágeis o acesso às vacinas contra a covid-19, assim como as tecnologias essenciais necessárias para atender aos doentes", escreveu.

Na mensagem, que será lida pelas paróquias na Jornada Mundial da Paz, em 1º de janeiro, o pontífice propôs a criação de um Fundo Mundial com o dinheiro que usa para a fabricação de armas e os gastos militares na luta contra a pobreza.

"Que corajosa decisão seria", comentou.

"A fome está criando raízes onde antes não existia", alertou.

O papa convocou a construção de "uma nova cultura" para combater a pandemia do coronavírus e as guerras que assolam o mundo, e denunciou a aparição de "novas formas" de racismo e xenofobia.

"É doloroso constatar que, lamentavelmente, junto a depoimentos de caridade e solidariedade, estão criando um novo impulso para diversas formas de nacionalismo, racismo, xenofobia e inclusive guerras e conflitos que semeiam a morte e a destruição", declarou.

O pontífice argentino comemorou seu aniversário, "com muita simplicidade", afirmou seu porta-voz, que lembrou quando o líder religioso doou quatro aparelhos de assistência respiratória à Venezuela para ajudar no combate à pandemia.

bur-kv/mb/gf/aa