Papa reza com fiéis de muitas religiões pelo fim da pandemia

O papa Francisco durante a missa privada e transmitida ao vivo da capela da residência de Santa Marta, no Vaticano

O papa Francisco e o líder muçulmano Ahmed al-Tayeb oraram junto aos fiéis de várias religiões, nesta quinta-feira (14), para pedir o fim da pandemia de coronavírus, que causou 300.000 mortes e infectou mais de 4 milhões de pessoas.

"Estamos todos unidos como seres humanos, como irmãos, orando a Deus, de acordo com a própria cultura, de acordo com a própria tradição, de acordo com as próprias crenças, mas como irmãos e rezando a Deus (...) para que o Senhor detenha esta pandemia", disse o papa durante a missa matutina na capela de sua residência no Vaticano.

Promovida pelo Alto Comitê para a Fraternidade Humana, a conferência envolveu líderes religiosos, acadêmicos e culturais de todo mundo e visa a promover a fraternidade e a convivência diante de uma emergência de saúde mundial sem precedentes.

Durante a oração, o papa argentino, líder de 1,3 bilhão de católicos, lembrou que existem outras pandemias que causam milhões de mortos, como a "pandemia da fome", "a pandemia da guerra" e a das crianças "sem educação".

Em nota divulgada no portal do Vaticano, os bispos da América Latina também se uniram à oração e pediram a Deus que "inspire a ciência" para que, em breve, seja encontrada a cura da COVID-19, a fim de restabelecer a saúde e o desenvolvimento, de modo "que juntos possamos construir uma civilização mais humana e fraterna".