Papa suprime a fundação 'Populorom Progressio' e cria fundo para América Latina

O papa Francisco suprimiu a fundação "Populorum Progressio", que tinha como objetivo ajudar agricultores, indígenas e afro-americanos mais pobres da América Latina e criou um fundo com o mesmo nome e objetivo que será administrado pelo Conselho Episcopal Latino-americano (Celam).

Segundo o site do Vaticano, o papa deseja que a ajuda ao desenvolvimento que provém diretamente do papa "seja simplificada" e deixe de ser administrada a partir da Cúria Romana, no Vaticano, e passe para o Celam.

Essa entidade da igreja latino-americana será encarregada "da análise dos projetos e de sua realização", explicou o pontífice argentino ao receber nesta sexta no Vaticano o conselho de administração da fundação.

Dessa maneira se "promove uma maior vinculação com as igrejas locais" e são mais efetivos os programas de desenvolvimento integral nas comunidades indígenas e afrodescendentes esquecidas e pobres da América Latina, explica o Vatican News.

A Fundação Populorum Progressio para América Latina foi fundada em 1992 por iniciativa do papa João Paulo II, na ocasião do V Centenário do Descobrimento da América, tinha sua sede no Vaticano e um secretariado operativo em Bogotá, Colômbia.

A decisão do papa faz parte da reforma da Cúria Romana, a administração central da Igreja, prometida desde sua eleição em 2013.

Francisco destacou que o novo fundo "mantém sua missão e continua sendo uma obra de caridade do papa" para ajudar "muitas famílias na América Latina e no Caribe que sobrevivem em condições subumanas" e pediu que os pobres se envolvam ativamente nos projetos.

kv/eg/jc