Papai Noel retorna aos shoppings com máscara e distanciamento

·4 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O home office do bom velhinho acabou. Neste ano, Papai Noel vai retornar ao trabalho presencial nos shoppings da capital paulista, mas ainda ainda com algumas restrições.

A barba branca ganhou um adereço obrigatório: a máscara -geralmente nas cores branca e vermelha. O uso da proteção é obrigatório nas dependências dos estabelecimentos. Também há álcool em gel disponível para a higienização das mãos.

O distanciamento entre o bom velhinho e os visitantes é exigência de quase todos os shoppings. Em alguns, como Anália Franco, Aricanduva (ambos na zona leste), Metrô Tucuruvi (na zona norte) e Pátio Higienópolis (região central), uma placa acrílica transparente foi instalada junto ao trono do Noel para tornar a interação mais segura. Neste último, porém, é possível agendar um encontro mais próximo com o bom velhinho pelo site www.patiohigienopolis.com.br

Para também evitar a proximidade no momento das fotos, os shoppings Cidade São Paulo (centro), Center Norte (zona norte) e Metrô Tatuapé (zona leste) colocaram o assento dos visitantes um pouco mais longe do trono do Papai Noel. No Tatuapé, uma equipe de apoio também controla o acesso à área das fotos, para evitar aglomeração.

Para quem não puder ir ao shopping e quiser falar com Papai Noel pelo WhatsApp, o Center Norte também disponibiliza a vídeo chamada. A participação é mediante reserva de horário na plataforma Sympla.

Já o Morumbi Shopping (zona oeste) montou neste ano a Casa do Noel, onde as crianças usam uma cabine telefônica para falar com o bom velhinho, mantendo assim o distanciamento.

Papai Noel há 17 anos, Roque Medeiros, 73, faz o que está ao seu alcance para se proteger contra a Covid-19, mas relata que nem sempre dá para evitar a proximidade. No Shopping Tucuruvi, onde atua nesta temporada de Natal, o protocolo veta contato direto com os visitantes.

"Às vezes, é inevitável [o contato]. A criança sai correndo e pula no meu colo. Aí eu deixo, porque tenho dó, mas falo para eles sentarem ao lado do Papai Noel. Aí a criança tira foto e vai embora feliz. Tem criança que vem aqui só para dar um abraço e conversar com o Papai Noel", conta.

A exceção entre os shoppings é o Ibirapuera (zona sul), que decidiu compensar o Natal virtual de 2020 e tornar a visita mais humanizada. Lá, as crianças podem chegar perto do bom velhinho, tirar foto, fazer um pedido ou entregar a cartinha sem nenhuma barreira, mas é recomendável dosar na aproximação e, se possível, evitar o contato físico.

Papai Noel há 26 anos, Roberto Paulo Matulevic, 75, que estará no shopping Ibirapuera até o fim de dezembro, troca de máscara a cada uma hora e meia, e evita o contato direto, como um abraço ou encostar o rosto na criança. "A prevenção é a nossa segunda vacina", diz.

Ele comemora a volta aos shoppings, após um Natal que "fugiu do normal", e conta desejar "saúde, sabedoria e paz a todos, que é o que nos falta".

Após alguns dias de trabalho presencial, Matulevic diz ter notado que a pandemia impactou a relação entre os pequenos e o bom velhinho. "Crianças que têm hoje quatro ou cinco anos de idade sentem medo do Papai Noel, porque ficaram dois anos sem vê-lo. É preciso muita conversa para eles se sentirem seguros. Mas fico feliz. Não há moeda que pague a satisfação em ver o sorriso delas."

O prazer em ver as crianças felizes, aponta também Medeiros, compensa toda a preocupação com os riscos de contaminação pela Covid no trabalho deste ano.

"Ontem, chegou um menino e a noelete perguntou se ele gostaria de escrever uma cartinha para o Papai Noel. O garoto, que tem 11 anos e é morador em Diadema (ABC), escreveu que gostaria de ganhar três pacotes de bala porque vende na rua e estava sem dinheiro para comprar a mercadoria. Prometi dar cinco caixas", diz.

PROGRAMAÇÃO

A programação de Natal, com atividades e decoração já começou em todos os shoppings contatados pela Folha e se estenderão até 24 de dezembro.

Entre os destaques, papais e mamães de pets também podem garantir fotos dos seus "filhos" perto do Noel nos shoppings Morumbi, Anália Franco e Center Norte.

No Shopping Ibirapuera, há uma árvore solidária com os nomes de 450 crianças do Instituto Cruz de Malta. Até 12 de dezembro, os visitantes poderão presentear as crianças com um brinquedo novo. Para contribuir, basta ir até o local e procurar uma das promotoras do evento.

A decoração do Center Norte traz uma grande árvore de Natal sobre um carrossel. A atração é paga, mas também há diversão gratuita -a tina e o gira-gira, além da bicicleta que acende as luzes de uma árvore de Natal quando alguém pedala.

Já o Pátio Higienópolis traz a tradicional árvore de Natal com 25 metros de altura, decorada com sete casinhas e circundada por um trenzinho que remete aos tradicionais brinquedos de Natal. Há ainda um coreto em que o visitante pode movimentar algumas cenas natalinas com o toque dos pés.

No Anália Franco, que traz uma árvore de 13 metros de altura e dois mil enfeites, a praça de eventos também tem trenzinho, carrossel e um balanço acessível para cadeirantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos