De 'papelão mundial' a 'escândalo': imprensa internacional critica suspensão de Brasil x Argentina

·3 minuto de leitura

A imprensa internacional criticou a suspensão da partida entre Brasil e Argentina, que seria realizada neste domingo na Arena Neo Química, em São Paulo. O jogo foi interrompido por funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) após descumprimento de regras sanitárias por parte da equipe argentina.

Agentes da Anvisa entraram no gramado para determinar a deportação de quatro jogadores argentinos que não cumpriram quarentena. Houve confusão com a chegada dos servidores federais, e a seleção da Argentina deixou o campo na sequência. O time brasileiro aproveitou para fazer um treino.

Em seu portal, o jornal argentino Olé destacou em sua manchete: "Papelão mundial brasileiro". O periódico ainda escreveu: "Membros de saúde se meteram no campo para deter jogadores da Premier League (liga inglesa). Escândalo total. Argentina se retirou. E a seleção de Tite apoiou os jogadores de Scaloni. Foi suspensa".

O Clarín adotou tom semelhante e também chamou o episódio de "escândalo" e "papelão". Na mesma linha, o TyC Sports afirmou: "Escândalo mundial! Suspenso pelas autoridades sanitárias".

O espanhol Marca também classificou a decisão como um "escândalo". "Suspenso Brasil x Argentina", publicou o jornal em seu portal. O português A Bola noticiou a suspensão da partida e ressaltou que "no centro da polémica estão quatro jogadores argentinos que representam clubes ingleses e que, segundo as regras determinadas pelo governo brasileiro, deviam ter cumprido um período de quarentena como todos os estrangeiros que entram no Brasil provenientes de Inglaterra".

A BBC, por sua vez, escreveu: "Brasil x Argentina suspenso após jogadores visitantes serem acusados de violação à Covid-19". Os britânicos chamaram a interrupção de "intervenção dramática".

O italiano Gazzetta dello Sport classificou o episódio como "inacreditável" e publicou: "Brasil x Argentina interrompido após 7 minutos por 'falta de quarentena'".

A Conmebol anunciou em suas redes sociais, nesta tarde, que a decisão final sobre a partida, ficará por conta da Fifa.

"Por decisão do árbitro da partida, o encontro organizado pela Fifa entre Brasil e Argentina, pelas eliminatórias para a Copa do Mundo, está suspenso. O árbitro e o comissário da partida enviarão um informe à comissão disciplinar da Fifa, que determinará os passos a seguir", explicou confederação.

Os agentes da Anvisa argumentam que quatro jogadores da Argentina não podem exercer qualquer atividade no Brasil antes de passar por uma quarentena pois estiveram, antes, no Reino Unido. Apesar da determinação da Anvisa, tornada pública no início da tarde, Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero foram escalados. Só Buendia não entrou em campo. Portaria da Anvisa determina que qualquer viajante que passou pelo Reino Unido faça quarentena de 14 dias devido à pandemia de Covid-19.

— Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entraram em campo, há uma sequência de descumprimentos — disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, em entrevista à TV Globo, lembrando que, antes, eles haviam prestado informação falsa no aeroporto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos