Paquistão desiste de proibir filme sobre romance entre homem casado e mulher trans

As autoridades paquistanesas desistiram nesta quarta-feira (16) de proibir o filme “Joyland”, que conta a história de amor de um homem casado e de uma mulher trans, indicaram fontes oficiais.

O longa paquistanês, premiado no último Festival de Cannes e elogiado pela crítica, estava previsto para chegar aos cinemas do país nesta sexta-feira.

Após uma onda de críticas por parte de setores islâmicos, o Ministério da Informação do Paquistão decidiu na semana passada suspender sua exibição, por considerá-lo “repugnante paras as normas de decência e moralidade”, e pediu aos censores uma revisão.

Nesta quarta-feira, porém, Muhammad Tahir Hassan, chefe da Junta Central de Censores de Cinema, afirmou à AFP que “não há nenhum obstáculo por parte da junta para sua exibição”. “Os distribuidores podem exibir o filme amanhã de manhã se quiserem”, acrescentou.

A proibição de “Joyland” indignou ativistas transgênero, enquanto a ONG Anistia Internacional denunciou que a decisão refletia um “retrocesso na garantia de seu lugar na sociedade”.

Na conservadora sociedade paquistanesa, os direitos das pessoas trans são frequentemente violados.

Além disso, os partidos islâmicos pressionam pela supressão das poucas leis que protegem esse grupo.

bur-jts/md/eb/jvb/ic