Paquistão não deixará de pagar dívidas apesar de enchentes, diz ministro das Finanças

Por Gibran Naiyyar Peshimam

ISLAMABAD (Reuters) - O Paquistão "absolutamente não" deixará de pagar suas dívidas apesar das enchentes que causaram desastres por todo o país, disse o ministro das Finanças neste domingo, sinalizando que não haverá grandes mudanças nas reformas destinadas a estabilizar a economia.

As enchentes afetaram 33 milhões de paquistaneses, causaram bilhões de dólares em danos e mataram mais de 1.500 pessoas, criando a preocupação de que o Paquistão não pagará suas dívidas.

"O caminho para a estabilidade era estreito, dado o ambiente desafiador, e se tornou ainda mais difícil", disse o ministro das Finanças, Miftah Ismail, à Reuters em seu gabinete.

"Mas se continuarmos a tomar decisões prudentes -e tomaremos- então não vamos falhar com esse compromisso. Absolutamente não."

O Paquistão conseguiu colocar um programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) de volta aos trilhos após meses de atraso, graças a decisões políticas difíceis. Mas o sentimento positivo durou pouco antes da temporada de enchentes catastróficas.

Apesar dos desastres, Ismail disse que a maioria das políticas e das metas de estabilização ainda estão no caminho certo, incluindo o aumento das reservas de divisas.