Paquistaneses atraídos por falso anúncio de venda de carro são torturados e roubados por traficantes

Policiais da 60ª DP (Campos Elísios) prenderam em flagrante, na madrugada desta quarta-feira (8), cinco homens pelos crimes de roubo e associação criminosa após manterem três paquistaneses reféns por quase seis horas na comunidade Piscina do Zé, no bairro Vila Santa Teresa, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. De acordo com as investigações, as vítimas foram atraídas ao local por um falso anúncio de venda de carro na internet e, ao chegarem, passaram a ser torturadas e obrigadas a realizar transferências por PIX e passar cartões de crédito e débito em maquininhas. Durante a ação, os criminosos ainda enviaram fotos dos estrangeiros sob a mira de armas a seus parentes.

'Rainha dos Reboques': empresária é alvo de operação por suspeita de fraudes em leilões

Violência: Comerciante é baleado em São Gonçalo durante tiroteio; um suspeito morreu

Alta tecnologia: Traficantes instalam câmeras escondidas em postes para monitorar rotina da polícia em Angra

Segundo o delegado Evaristo Pontes Magalhães, titular da 60a DP, as vítimas compareceram a delegacia por volta de 21h e comunicaram que foram até a Vila Santa Teresa após localizarem o anúncio de um veículo com características e condições de preços que procuravam. Em um breve contato telefônico com o suposto vendedor, se dirigiram ao local marcado e foram surpreendidos pelos traficantes que os obrigaram a entrar na favela.

Em depoimento, eles narram que foram severamente torturados, entre 11h e 16h30, tiveram seus pertences subtraídos, entre eles cartões bancários. Os paquistaneses contaram que foram obrigados a revelar suas senhas de contas correntes, transferir por PIX todos os valores disponíveis para contas fornecidas pelos criminosos e descarregar os créditos disponíveis nos cartões de créditos em máquinas que se encontravam na posse dos traficantes.

Após briga: 'Toda morte de preto é acidental', questiona irmã de caseiro morto baleado por PM

Ainda durante a ação, os traficantes usando o aparelho de telefone das vítimas, as fotografaram e enviaram as imagens para familiares exigindo valores sob pena de os matarem caso não fossem realizados os pagamentos dos valores exigidos.

Durante as investigações, foi possível esclarecer que o grupo é formado por ao menos nove criminosos, com funções definidas - publicação dos anúncios e negociação com as vítimas, olheiro, vigia das entradas da comunidade para informar a possível entrada de policiais, enquanto os demais torturavam e roubavam as vítimas, além dos responsáveis por transações com as máquinas de cartão.

Casos de estelionato: Suspeita de mais de 30 golpes furtou TV e sofá de apartamento após ser solta, diz dono de imobiliária

Ainda de acordo com o delegado Evaristo Pontes Magalhães, foi constatado que há outras vítimas da mesma modalidade criminosa na região. Cassio de Oliveira Junior, de 28 anos; Leandro dos Santos Carvalho de 25; Max Alves de Almeida, de 34; Renato Detrine Pereira, de 35 anos; e Thalles Marques de Oliveira Leandro, de 26, serão encaminhados ao sistema penitenciário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos