Para AGU, ciclo de acordo de leniência na Lava-Jato está próximo do fim

Jussara Soares
André Luiz Mendonça disse que a maioria das empresas brasileiras envolvidas na Lava-Jato já procurou o governo

BRASÍLIA - O ministro André Luiz Mendonça, da Advocacia-Geral da União (AGU), disse, nesta sexta-feira, que o ciclo de acordos de leniência com empreiteiras envolvidas no Operação Lava-Jato está próximo do fim. Em 2019, cinco empresas do ramos da construção civil se comprometeram com AGU e a Controladoria-Geral da União (CGU) em pagar R$ 7,5 bilhões como compensação pelos atos ilícitos.

As empresas são a OAS, Nova Participações (antinga Engevix), Camargo Corrêa, Technip e Braskem. Ao todo, segundo a AGU, foram celebrados 11 acordos no âmbito da Lava-Jata que resultaram no pagamento de R$ 3,11 bilhões, dos quais R$ 1,6 bilhões apenas em 2019.

- Acho que praticamente estamos encerrando o ciclo Lava Jato - disse Mendonça, durante um café da manhã com jornalista, no qual fez um balanço das ações da AGU ao longo deste ano.

O ministro justificou que a maioria das empresas brasileiras da área de construção civil implicadas na Lava-Jato já procurou a AGU ou a CGU para fazer os acordos. E acrescentou que as que não celebraram os acordos já não tem mais possibilidade, porque não cumpriram os critérios para firmar o trato.

- Dificilmente, virá uma nova empresa brasileira da área construção civil que não seja do nosso conhecimento. Ou que já tenha feito o acordo ou que já tenha encerrado as negociações sem que preenchesse os requisitos - acrescentou.

O advogado-geral da União, porém, não descarta acordo com outras empresas de outros setores implicadas nos desdobramentos da Operação Lava-Jato.

- Quando digo Lava-Jato, me refiro mais à Petrobras, àquilo que a gente viu. Esse ciclo, sim (está chegando ao fim). Outras eventualmente... Desmembramento vai haver porque, por exemplo, a Odebrecht citou duzentas pessoas físicas e jurídicas. Então, tem desdobramentos, mas aquele macro de grupo empreiteiras aquele ciclo está se encerrando - detalhou.

Atualmente, a AGU e a CGU negociam acordos de leniência com 23 empresas, da quais 15 em parceria com o departamento de Justiça dos Estados Unidos. De acordo com o ministro, "a meta audaciosíssima" é chegar a R$ 25 bilhões em acordos, somando os já fechados.