Para apoiar Haddad, PSOL quer protagonismo em chapa do PT

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
PSOL declarou apoio a Lula em âmbito nacional, mas quer protagonismo na chapa de Haddad para apoiar petista em São Paulo (Foto: REUTERS/Carla Carniel)
PSOL declarou apoio a Lula em âmbito nacional, mas quer protagonismo na chapa de Haddad para apoiar petista em São Paulo (Foto: REUTERS/Carla Carniel)

O PSOL deve se reunir nesta segunda-feira (16) em São Paulo para debater se vai apoiar a chapa de Fernando Haddad (PT) para o governo do estado. As negociações com o PT devem ser abertas oficialmente após este encontro. As informações são da jornalista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

O partido já anunciou que apoiará o ex-presidente Lula (PT) nas eleições nacionais, mas quer negociar cargos para estar com Haddad em São Paulo. A ideia do PSOL, segundo a Folha, é ter um nome próprio para concorrer ao Senado ou como vice na chapa do petista.

Até o momento, as conversas entre PSOL e PT ainda não progrediram porque os petistas têm esperanças de que Márcio França (PSB) repita a dobradinha nacional e decida apoiar Haddad, em vez de lançar uma candidatura própria ao governo do estado. Pelas pesquisas recentes, o petista aparece como favorito e França em segundo lugar.

Uma das possibilidades seria que França deixasse de concorrer ao posto de governador para entrar na chapa e tentasse um posto no Senado Federal. Por isso, há uma incerteza sobre qual lugar o PSOL poderia ocupar na aliança. Ao mesmo tempo, Haddad declarou que a tendência é que as duas candidaturas se mantenham.

“Eu acho que a tendencia é de manutenção das duas candidaturas. Essa é a tendencia, porque estamos desde agosto tentando negociar, e há todo um bastidor em torno dessa questão. Agora, eu respeito muito a candidatura do Márcio, nunca coloquei essa questão da retirada da candidatura dele. Você pode perguntar pra ele se em algum momento isso foi assunto entre nós, nunca foi”, declarou Fernando Haddad durante sabatina Uol/Folha.

Segundo a Folha, o PT já firmou o compromisso de se aliar ao PSOL em São Paulo. No entanto, caso não haja acordo entre as partes, o PSOL não descarta uma candidatura própria no estado. Inicialmente, o nome seria de Guilherme Boulos, mas ele desistiu para tentar o cargo de deputado federal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos