Para atrair PSDB, Lula avalia apoiar Eduardo Leite e ficar neutro em Pernambuco

São Paulo, SP, BRASIL, 03-10-2022: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participam nesta segunda-feira (03/10), da reunião de coordenação da campanha da Coligação Brasil da Esperança, no Hotel Gran Mercure. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
São Paulo, SP, BRASIL, 03-10-2022: O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participam nesta segunda-feira (03/10), da reunião de coordenação da campanha da Coligação Brasil da Esperança, no Hotel Gran Mercure. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na ofensiva para ganhar o apoio do PSDB, a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) admite apoiar o ex-governador Eduardo Leite no Rio Grande do Sul e manter uma certa neutralidade em Pernambuco, onde Marília Arraes (Solidariedade) compete com a tucana Raquel Lyra. Nesse cenário, Lula não visitaria o estado no segundo turno.

O senador Tasso Jereissati (PSDB) afirmou nesta segunda-feira (3) que defenderá que o partido apoie a candidatura Lula no segundo turno das eleições presidenciais.

A executiva do PSDB se reunirá nesta terça-feira (4), mas a expectativa é que o partido libere seus filiados. "Minha opinião, não é necessariamente a do partido, é que temos ir com Lula", disse Tasso.