Para barrar CPI, governo quer comissão "light" sobre coronavírus

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JANUARY 18: Brazil's Health Minister Eduardo Pazuello looks on during a press conference about the distribution process of the nearly 6 million doses of the CoronaVac vaccine, developed by the Chinese laboratory Sinovac in partnership with the Butantan Institute, to be distributed to all Brazilian states on January 18, 2021 in Sao Paulo, Brazil. The vaccines will be distributed using planes from the Brazilian Air Force (FAB) and refrigerated cargo trucks. According to Brazil's Health Minister Eduardo Pazuello, the states can start vaccinating today. (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)

Parlamentares da base aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) costuram a criação de uma comissão mais “light” para barrar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre ações e eventuais omissões do Governo Federal em meio à pandemia do novo coronavírus.

O pedido para a instalação de uma CPI da Covid-19 foi apresentado em 4 de fevereiro com o apoio de senadores da oposição e outros tidos como independentes. Segundo o portal UOL, em vez desta investigação, o governo quer que o Senado tenha apenas uma comissão de monitoramento da pandemia, sem apurar ações passadas de Bolsonaro e do Ministério da Saúde.

Leia também

O pedido para essa comissão mais branda, apurou a reportagem do UOL, foi feito pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), aos líderes partidários. A proposta é que, após dez dias de trabalho, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reconsidere se instala ou não a CPI.

Senadores que apoiam a CPI, porém, dizem que isso é uma estratégia do governo para tirar da pauta a CPI e ter tempo de convencer parlamentares a retirar o apoio ao colegiado mais duro.

O líder da minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN), afirmou que a CPI não impede a continuidade da vacinação contra a covid-19 nem dificulta medidas do Ministério da Saúde, como foi dito por senadores governistas.

“Não nos demos por satisfeito. Temos que ter uma CPI. Ao presidente do Senado, não cabe juízo de valor”, falou. “Se tem assinaturas [necessárias], é ler [o requerimento] e instalar.”