Para Bolsonaro, Eduardo Leite busca 'cartão de visita' e está 'se achando o máximo' ao se declarar gay

·3 minuto de leitura
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 13.12.2019 - O presidente Jair Bolsonaro em cerimônia comemorativa do Dia do Marinheiro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
**ARQUIVO** BRASÍLIA, DF, 13.12.2019 - O presidente Jair Bolsonaro em cerimônia comemorativa do Dia do Marinheiro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Um dia após o governador Eduardo Leite (PSDB-RS, ter afirmado ser gay em um programa de TV, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (2) que o gaúcho busca um "cartão de visita" para sua candidatura e que está "se achando o máximo".

"O cara ontem está achando que é o máximo, se achando o máximo. 'Olha', bateu no peito, 'eu assumi'. É o cartão de visita para a candidatura dele", afirmou o presidente.

"Ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém, agora, querer impor seu costume, seu comportamento para os outros, não", completou, em interação com seus apoiadores.

A declaração foi divulgada em um vídeo repleto de cortes, gravado e publicado por um canal bolsonarista.

Hoje Bolsonaro nega que seja homofóbico e contra os gays. Em 2011, ainda como deputado, disse o seguinte: "Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui. Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí."

Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, veiculado na madrugada desta sexta, Eduardo Leite se declarou gay. Ele também abordou o assunto em entrevista à revista piauí.

"Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto [Barack] Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso", disse Leite, 36, ao programa do Bial.

"Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser", disse o político na entrevista a Bial.

Ele afirmou, porém, que atualmente "nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é". Ainda na entrevista, o governador contou que namora um médico do Espírito Santo. Disse que tem admiração pelo namorado, que trabalhou em hospitais de campanha na pandemia.

"Algumas pessoas falam sobre alguma coragem que eu possa ter sobre assumir isso publicamente. Eu acho que há alguma, mas coragem tem mesmo quem vai pra um hospital de campanha. Gente que tá fazendo tanto pra superar esse quadro de pandemia. Tem tantos outros exemplos de coragem que a minha fica pequenininha", disse.

Leite é um dos cotados pelo PSDB para disputar a Presidência da República nas eleições de 2022. O partido deverá realizar prévias em novembro.

A disputa interna contará ainda com o governador de São Paulo, João Doria, com o senador Tasso Jeireissati, e com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Após as divulgação das declarações de Leite, Doria afirmou em uma rede social: "Admiração e respeito ao meu amigo @EduardoLeite_".

A conta oficial do PSDB no Twitter também elogiou o governador gaúcho. "Parabéns pela coragem, @EduardoLeite_."

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) escreveu: "Parabenizo o gov. @EduardoLeite_ pela bravura! Sei a dor que é a prisão do armário, sobretudo num ambiente conservador como a Política, e cada um deve descobrir seu momento certo para esse gesto. Seja feliz e siga seu ótimo trabalho: a vida será mais leve!".

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) disse: "O governador @EduardoLeite_ decidiu afirmar sua identidade como gay. Contribui dessa forma para enfrentar discriminações e preconceitos. Eu o cumprimento e abraço, @EduardoLeite_ . Posições políticas distintas não me impedem de reconhecer que seu gesto contribui para um Brasil sem #lgbtfobia".

A ex-candidata à Presidência pelo PSOL Luciana Genro, também gaúcha, afirmou: "Quero parabenizar o governador @EduardoLeite_ pela atitude corajosa de falar sobre sua orientação sexual. Atitude necessária para ajudar LGBTs que lutam pelo fim da discriminação".

Já o presidente do Cidadania, o ex-deputado Roberto Freire, ressaltou: "Um importante e corajoso gesto do Eduardo Leite, que recebemos, os democratas, como um alento e um sinal de compromisso com a verdade e com os valores do humanismo que nos unem, da esquerda à direita liberal. Grande quadro político que se credencia no polo democrático pra 2022".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos