Para conter coronavírus, Boeing suspende produção em fábricas no estado de Washington

SEATTLE - A Boeing anunciou a interrupção temporária das atividades de suas operações no estado de Washington a partir desta quarta-feira, dia 25. A medida foi tomada para conter a disseminação do novo coronavírus e durará, inicialmente, por 14 dias. Os trabalhadores afetados continuarão recebendo seus salários.

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, o presidente-executivo da companhia, Dave Calhoun, afirmou que a empresa trabalha em estreira colaboração com autoridades de saúde pública, clientes, fornecedores e outros atores afetados pela suspensão.

“Lamentamos as dificuldades que isso causará a eles, assim como a nossos funcionários, mas é vital manter a saúde e a segurança de todos que apoiam nossos produtos e serviços, e ajudar no esforço nacional para combater a disseminação do Covid-19", afirmou Calhoun.

Apesar de hoje manter sua sede em Chicago, Illionis, a Boeing foi fundada no estado de Washington, onde é a maior empregadora e mantém várias instalações. De acordo com o site da economia, cerca de metade dos funcionários da companhia estão baseados no complexo de Puget Sound.

Os funcionários que podem fazer trabalho remoto já estavam em casa. A partir de agora, os que continuavam trabalhando serão afastados temporariamente em férias remuneradas.

O estado de Washington está sendo duramente afetado pela epidemia, com quase 2 mil casos confirmados e 95 mortes, segundo números divulgados no domingo.

Outras instalações da companhia, como a linha do 787 na Carolina do Sul e as instalações militares e de produção de helicópteros em Saint Louis e Filadélfia continuarão operando.

Dispensas na General Electric

A crise provocada pelo coronavírus também afeta os negócios da General Electric, que anunciou a dispensa de cerca de 10% dos seus funcionários do negócio de motores para aeronaves, o maior e mais lucrativo da companhia. Serão 2,5 mil trabalhadores afetados, numa das primeiras dispensas em massa de uma grande fabricante americana por causa da crise.

Além disso, a empresa irá afastar cerca de metade de seus funcionários das áreas de manutenção e reparo durante três meses, numa medida de adequação à queda da demanda provocada pela suspensão de voos pelas companhias aéreas. Segundo a companhias, essas medidas irão reduzir os custos entre US$ 500 milhões de US$ 1 bilhão.

“Em relação à nossa posição financeira, nossa companhia está bem”, afirmou o direitor executivo da GE, Larry Culp, em comunicado. “Entretanto, o que não sabemos sobre a magnitude e a duração desta pandemia ainda supera o que sabemos”.