Para conter Covid, Araraquara impede entrada de 1 em cada 5 carros em barreira sanitária

MARCELO TOLEDO
·2 minuto de leitura

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Em seu segundo período de severas restrições devido à pandemia --o primeiro foi um lockdown em fevereiro--, Araraquara impediu a entrada de 1 em cada 5 veículos parados nas barreiras sanitárias implantadas como forma de tentar conter a disseminação do novo coronavírus. Cidade que se tornou símbolo do avanço da nova variante da Covid-19 no estado, Araraquara (a 273 km de São Paulo) antecipou dois feriados para esta semana e suspendeu o funcionamento do transporte coletivo para restringir a circulação de pessoas entre quarta-feira (31) e domingo (4). Moradores de outras cidades só podem entrar em Araraquara neste período se apresentarem nas barreiras sanitárias teste negativo para Covid-19 feito em no máximo 48 horas, além de justificar o motivo de quererem visitar o município. Na quinta-feira (1), véspera do feriado nacional da Sexta-feira Santa, 310 dos 1.476 veículos com placas de outras cidades que foram abordados tiveram de retornar para os municípios de origem após não conseguirem justificar a razão para viajar para Araraquara --1 em cada 5 veículos. Se o motorista e os ocupantes dos veículos não apresentarem os testes negativos, poderão fazer o teste rápido nas barreiras. Em dois dias, foram feitos 311, com três resultados positivos. De acordo com a prefeitura, o objetivo das medidas é preservar os moradores de Araraquara para que sejam evitados novos casos da doença. A cidade soma 333 óbitos em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 241 ocorreram neste ano --217 deles desde fevereiro, quando explodiram as mortes causadas pela variante brasileira do vírus. Nesta sexta-feira (2), foi confirmada a morte de um homem de 55 anos que não tinha comorbidades e estava internado desde o dia 10 de fevereiro em um hospital público. O lockdown de dez dias, com restrições totais nos sete primeiros, resultou na queda de novos casos de coronavírus, nos índices de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e de mortes, mas as medidas foram adotadas agora como uma oportunidade de frear mais o contágio, segundo o secretário da Segurança Pública de Araraquara, João Alberto Nogueira Junior. "Estamos vivenciando uma pandemia grave e o momento é de ficar em casa, respeitando as regras sanitárias", afirmou. Nesta sexta, havia 188 pacientes internados na cidade, dos quais 85 em UTIs. A ocupação dos leitos intensivos está em 89%, enquanto nas enfermarias a taxa é de 70%. Dos internados, 106 são de outras cidades --São Carlos, com 30, é a que mais exportou pacientes para Araraquara. Além de equipes da Vigilância Epidemiológica, participam da operação a Guarda Civil Municipal, fiscais, agentes de trânsito e Polícia Rodoviária.