Para conter variante delta, metade dos portugueses retorna ao toque de recolher

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O avanço da variante delta do novo coronavírus fez Portugal recuar mais uma vez nas medidas de desconfinamento. Aproximadamente metade dos portugueses será submetida a um toque de recolher noturno, das 23h às 5h do horário local, a partir desta sexta-feira (2).

O país superou nesta semana a marca de 2.000 novos casos diários de Covid-19, alcançada pela última vez em fevereiro. Antes da chegada e do início da transmissão doméstica da variante delta, o país apresentava médias diárias de 500 infectados.

O toque de recolher se aplica aos 45 municípios que apresentam as maiores taxas de contágio -a capital Lisboa está inclusa. Pelo segundo fim de semana consecutivo, também está proibido o acesso à área metropolitana da capital para moradores de outras regiões.

"Não estamos em um momento de alegar que a pandemia está sob controle", disse a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva. "Precisamos seguir as regras, evitar aglomerações e conter os números."

O país tem buscado acelerar sua campanha de vacinação. Pessoas maiores de 18 anos poderão tomar a primeira dose do imunizante a partir deste domingo (4). Atualmente, um terço dos portugueses está completamente imunizado (já tomou as duas doses ou a dose única da vacina).

O boletim mais recente da autoridade sanitária portuguesa, a Direção-Geral de Saúde, mostra que o país soma, desde o início da pandemia, 884.442 infectados e 17.108 mortes por Covid-19. A variante delta, de acordo com dados do Our World in Data, já representa 74% das infecções em Portugal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos