Para evitar acidentes, placa de 'uso obrigatório de capacete' é afixada em árvore inclinada em Botafogo

·2 min de leitura

RIO — Na Rua Eduardo Guinle, em frente ao número 59, próximo da Praça Radial Sul, em Botafogo, a recomendação é usar capacete para passar debaixo de uma árvore com o tronco envergado. A solução teria sido encontrada por um porteiro que se cansou de ver gente batendo com a cabeça e, em protesto, instalou uma placa que diz “Atenção uso obrigatório" e uma imagem do equipamento de segurança. Ainda na tentativa de alertar os distraídos, teria sido ele também quem envolveu o tronco com espumas amarelas para amortecero choque, caso este seja inevitável.

A foto foi divulgada em uma rede social pela corretora de imóveis Cintia Isidro com a legenda "Amei isso. O problema não é a árvore, é você que não usa capacete".

— Estava indo trabalhar e vi a placa. Achei a ideia maravilhosa, e o problema não é mesmo da árvore. Quem está andando prestando atenção não bate. Mas quem está andando mexendo no celular, por exemplo, pode se machucar. A árvore deve ter ficado “torta” porque está procurando a luz do sol entre os prédios. Não sei se tem outra explicação, mas é o que eu vejo acontecendo com diversas árvores — opina.

Para outros moradores dos arredores, porém, o tronco envergado é, de fato, um obstáculo, sobretudo para deficientes visuais e ciclistas. Alguns salientam que há árvores na mesma situação em outros pontos do bairro, como a Rua Professor Álvaro Rodrigues.

Como suspeita Cintia Isidro, o engenheiro florestal Sidney Brasil confirma que uma das razões que fazem com que as árvores fiquem tortas está relacionada com a busca pela luz do sol:

— Em muitos casos uma das soluções é a poda de levantamento de copa, que é a retirada dos galhos mais baixos, ou mesmo a poda de limpeza. Nesse caso (da Eduardo Guinle), porém, isso não se aplica. Quando a árvore é plantada e não recebe um acompanhamento apropriado, ela pode crescer dessa forma. Seria preciso fazer uma avaliação adequada para, talvez, até substituir a árvore por outra.

Procurada, a Fundação Parques e Jardins diz que o condomínio localizado no número 59 da Rua Eduardo Guinle deve solicitar uma avaliação da árvore pela Comlurb, via 1746. Pela foto que circula nas redes sociais, afirma na nota, a árvore parece realmente estar bem inclinada, daí a necessidade de se fazer uma vistoria especializada e avaliar se há riscos para os pedestres. O órgão acrescenta: "Importante observar que é proibido amarrar ou pendurar qualquer tipo de objetos nas árvores urbanas".

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos