Para evitar flagrante, alunos passam 5h trancados em academia no interior de SP

·1 minuto de leitura
Os agentes cumpriam o decreto municipal que proíbe o funcionamento de centros de ginástica e outros estabelecimentos até o próximo dia 10 de junho por causa da pandemia ( Foto: Vigilância Sanitária de Franca/Divulgação)
Os agentes cumpriam o decreto municipal que proíbe o funcionamento de centros de ginástica e outros estabelecimentos até o próximo dia 10 de junho por causa da pandemia ( Foto: Vigilância Sanitária de Franca/Divulgação)
  • Um grupo de 23 pessoas passou cinco horas trancado em uma academia em Franca, no interior de São Paulo, para escapar da fiscalização da Guarda Civil Municipal

  • Os agentes cumpriam o decreto municipal que proíbe o funcionamento de centros de ginástica e outros estabelecimentos até o próximo dia 10 de junho por causa da pandemia

  • Todos foram autuados por descumprimento às regras da prefeitura, e a academia foi fechada pela Vigilância Sanitária; os alunos da academia cobriram os rostos para não serem identificados

Um grupo de 23 pessoas passou cinco horas trancado em uma academia em Franca, no interior de São Paulo, para escapar da fiscalização da Guarda Civil Municipal (CGM) que interditou o local, nesta quarta-feira (3). 

Os agentes cumpriam o decreto municipal que proíbe o funcionamento de centros de ginástica e outros estabelecimentos até o próximo dia 10 de junho por causa da pandemia.

Leia também

De acordo com o G1, o flagrante foi feito por volta das 16h, em um estabelecimento na Avenida Champagnat, após denúncia feita à Patrulha Covid, grupo que fiscaliza o cumprimento das regras da prefeitura para enfrentamento ao coronavírus.

Segundo a força-tarefa, os alunos treinavam normalmente. Assim que perceberam a chegada da patrulha, os donos do local fecharam as portas da academia. 

Clientes e funcionários só começaram a deixar o local após a chegada de um advogado, por volta das 21h, de acordo com o jornal. 

Mesmo assim, todos foram autuados por descumprimento às regras da prefeitura, e a academia foi fechada pela Vigilância Sanitária. Os alunos da academia cobriram os rostos para não serem identificados. 

Crime contra a Saúde Pública

Segundo a Prefeitura, os infratores podem responder por crimes contra a saúde pública e contra administração pública, além de serem multados.

As denúncias de irregularidades podem ser feitas à força-tarefa pelo Covizap, no número (16) 99917-2802.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos