Para Facebook, Brasil tem maior alcance de conteúdos tóxicos

·1 min de leitura
Alguns dos assuntos têm relação direta à política e questões democráticas. Foto: Getty Images.
Alguns dos assuntos têm relação direta à política e questões democráticas. Foto: Getty Images.
  • De acordo com documentos vazados, Facebook considera o Brasil um "país de risco" em conteúdos tóxicos;

  • As informações vieram dos "Facebook Papers", documentos divulgados para veículos da imprensa;

  • Em 17 categorias, o país é citado como local de grande alcance para conteúdos de baixa qualidade.

Documentos internos do Facebook demonstram que a rede social classifica o Brasil como um “país de risco” quanto à propagação de conteúdos tóxicos, já que discursos de ódio, desinformação, violência explícita e desencorajamento cívico no país são especialmente maiores, quando comparados a outros aplicativos.

As informações saíram dos “Facebook Papers”, um conjunto de documentos da companhia vazados para um consórcio de veículos de imprensa.

Leia também:

A exposição de materiais faz parte das divulgações à Securities and Exchange Commission (SEC) fornecidas ao Congresso por Frances Haugen, ex-fucionária do Facebook, que coletou as informações internas após se demitir em maio por questionar posturas da empresa.

Em um dos arquivos, de 95 páginas, uma pesquisa deste ano, feita entre março a abril, procurou compreender as percepções de usuários de diferente países quanto ao Facebook. A ideia foi mapear experiências negativas de forma a entender se os aplicativos da companhia conseguiam manter uma integridade.

Por meio da análise de 17 categorias de conteúdos, percebeu-se em diversos trechos que o Brasil é citado como um país com grande alcance de conteúdo de baixa qualidade.

Alguns dos assuntos têm relação direta à política e questões democráticas. Já outros aspectos têm referências a bullying, conteúdo falso ou enganoso, contas falsas, roubo de identidade, violência explícita, discurso de ódio, nudez, terrorismo, exposição infantil indevida, venda de animais, venda de drogas e profanidade.

Em uma parte do estudo, evidencia-se que 37% dos brasileiros entrevistados percebem um conteúdo como falso ou enganoso na rede social. Já 30% se depara com esses materiais no WhatsApp. O aplicativo de conversas tem sua maior participação no Brasil.

As informações são do Estadão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos