Para Gilmar Mendes, "certamente" Raquel Dodge vai revisar procedimentos de Janot

Ministro Gilmar Mendes em sessão do STF em Brasília, Brasil 20/6/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira que "certamente" a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, vai revisar procedimentos que vinham sendo adotados pelo antecessor, Rodrigo Janot, para evitar "erros e equívocos".

"Certamente haverá revisões, não vou dar opinião sobre isso, mas certamente a procuradora-geral vai fazer uma reanálise de todos os procedimentos que estão à sua disposição de maneira natural ou provocada para certamente evitar erros e equívocos que estavam se acumulando", disse a jornalistas.

O comentário de Mendes --desafeto declarado de Janot-- foi feito em uma segunda agenda pública que ele teve na manhã desta segunda. Antes, ele esteve presente na cerimônia de posse de Raquel Dodge na Procuradoria-Geral da República (PGR).

Para o ministro do STF, houve muitos "tumultos" e "desacertos" na gestão do ex-procurador-geral, citando o episódio da delação premiada dos executivos da J&F. Janot pediu que o acordo de dois colaboradores --Joesley Batista e Ricardo Saud-- seja rescindido por omissão de informações.

Mendes afirmou que ocorreu na gestão passada uma certa trapalhada e perplexidade que resultaram em ineficiência do trabalho da PGR.

O ministro do STF disse ter a impressão de que Dodge vai dar continuidade ao trabalho de combate à corrupção, mas também colocará outros temas na agenda, como a defesa dos direitos humanos, a questão indígena e dos presos. 

Para Mendes, que disse ter ficado "deveras impressionado" com o discurso dela, a nova procuradora-geral vai defender que as investigações sejam feitas dentro do devido processo legal.

"Esse era um dos questionamentos que havia e acho que ela deu uma boa resposta", avaliou o ministro.

(Por Ricardo Brito)