Para Maia, governo estimula candidatura de esquerda na Câmara

Eduardo Bresciani e Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura
Edilson Dantas/Agência O Globo

BRASÍLIA — O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira que o governo estimula o lançamento de uma candidatura de esquerda para o comando da Casa para evitar que essas legendas apoiem seu grupo político. Maia diz que o movimento ocorre diante da impossibilidade da esquerda encampar o nome de Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro.

— Quando o governo tem expectativa e ela é frustrada, o governo viu a dificuldade (da esquerda apoiar Lira) e passou a achar melhor que eles tenham candidato do que apoie o nome de centro — disse Maia em café da manhã com jornalistas.

Maia não deu prazo exato para definir o representante de seu grupo na disputa, mas admitiu que o processo se afunilou entre Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (MDB-SP).

O presidente da Câmara destacou que após deixar o cargo pretende trabalhar pela união do centro em uma candidatura para 2022. Citou como nomes que integram esse campo os governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o apresentador Luciano Huck.

Maia surpreendeu ao dizer que o PT poderia estar nesse campo com um nome que fosse de "centro-esquerda". Confrontado, porém, reconheceu que seu partido teria dificuldade de se unir com o PT em 2022.

— Se muito difícil o DEM apoiar o PT e vice versa, mas o PT teve que vir para o centro para ganhar a eleição em 2002 — afirmou.