Para não ser como Cuba, Brasil precisa de voto impresso auditável, diz Bolsonaro

·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que o Brasil precisa adotar a impressão de voto nas urnas eletrônicas para não se tornar Cuba, país comunista caribenho e palco de protestos históricos no fim de semana.

Em conversa com apoiadores transmitida pelas redes sociais, Bolsonaro prometeu novamente que vai apresentar novidade sobre o assunto em sua tradicional live na quinta-feira.

"Agora aqui no Brasil para não entrar na linha de Cuba tem que ter o voto impresso e auditável e a contagem pública dos votos", disse o presidente, referindo-se à ilha. Milhares de cubanos foram às ruas do país, de Havana a Santiago, no domingo, nas maiores manifestações contra o governamentais em décadas. Os protestos, pedindo liberdade e a renúncia do presidente Miguel Díaz-Canel, eclodiram em meio à mais profunda crise econômica de Cuba desde a queda da antiga aliada União Soviética e a uma disparada de infecções de Covid-19.

"Quinta-feira tem novidade na nossa live, novidades que ninguém tem, vai ser bombástico aí. Não vou nem dar a dica do que vai acontecer, assistam à live", disse Bolsonaro.

Em outras ocasiões, o presidente disse que iria apresentar provas de supostas fraudes sobre o atual sistema de votação, mas nunca o fez.

Recentemente, Bolsonaro chegou a ameaçar em público que corria o risco de não haver eleições no próximo ano caso não houvesse mudança no sistema de votação. As declarações dele causaram reação de autoridades do Judiciário e do Legislativo.

Apesar das declarações do presidente em defesa da mudança do regime, partidos da Câmara dos Deputados -- inclusive da base do governo -- não têm dado respaldo para a proposta que prevê a alteração no formato de votação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos