Para proteger prostitutas, Suíça cria "caixas do sexo"



País no qual a prostituição é legalizada desde 1942, a Suíça criou agora um experimento bastante polêmico e conhecido popularmente como "caixa do sexo". Consiste em pequenas garagens de madeira no meio da rua nos quais motoristas podem encontrar prostitutas.

Leia também
"Madame Hollywood" é acusada de plantar maconha
EUA: FBI resgata 105 crianças submetidas a prostituição



Visando a facilidade e a segurança das mulheres, as "caixas do sexo" possuem banheiros, armários, uma mesinha para o café e até chuveiro. O cliente não precisa pagar nada para utilizar o local, enquanto as prostitutas pagam uma taxa ao governo pela utilização. Existe também um botão do pânico para ser utilizado pelas mulheres caso haja necessidade.

"Isso é proteção para as prostitutas. Elas fazem o trabalho delas e nós respeitamos isso, temos também que dar segurança, está certo", opina o advogado Daniel Hartmann em entrevista ao britânico The Guardian.

Além da segurança, o projeto também tem como objetivo afastar a prostituição do centro da cidade, local onde circulam, por exemplo, mais crianças. As "caixas do sexo", para tanto, se encontram mais afastadas. Profissionais de segurança também fazem a ronda dos locais, que ficam abertos das 19h até as 5h.

No estilo drive-in, o local não tem portas, mas não permite que qualquer curioso entre e dê uma "espiadinha" no que está acontecendo lá dentro. A manutenção vem do dinheiro das próprias prostitutas, que pagam US$ 43 (R$ 102, aproximadamente) anualmente e mais US$ 5,40 (R$ 12,90, aproximadamente) por noite de utilização. Na Suíça, por ser legalizada, a prostituição é uma profissão que paga impostos como qualquer outra.