Parada do Orgulho LGBTQIA+ na Índia pede reconhecimento do casamento homossexual

Após três anos, centenas de pessoas prestigiaram neste domingo (08) a primeira Parada do Orgulho LGBTQIA+ em Nova Délhi, onde a pressão pelo reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo cresce.

A Suprema Corte deve examinar em março uma ação movida por um casal gay, cinco anos após a abolição da proibição da homossexualidade, uma lei dos tempos coloniais britânicos.

Para Ajay Chauhan, participante deste evento que há dois anos é cancelado por conta da covid-19, "a descriminalização afeta apenas um aspecto da questão, mas existem outros mais amplos e os direitos para a comunidade LGBTQIA+ ".

"O casamento é prioridade, porque uma vez que esta questão seja resolvida, outros direitos virão", ele insiste, ao citar o tópico herança como exemplo.

Se o tribunal decidir a favor do reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo, a Índia se tornará o segundo país da Ásia a autorizar este tipo de casamento, depois de Taiwan.

As petições que pedem a legalização desse tipo de união aumentam, especialmente nos tribunais de Nova Délhi, Kerala e Uttar Pradesh. No entanto, a oposição dos governos regionais permanece um desafio.

stu/dhc/cls/emp/es/an/ms/jc