Paralisação de empresa de ônibus afeta passageiros na zona sul de SP

Uma paralisação de trabalhadores da Viação Grajaú, uma das operadoras de transporte coletivo urbano de São Paulo afetou milhares de passageiros na zona sul de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (9).

A Viação Grajaú informou que o movimento grevista ocorre em função de disputa política dentro do sindicato dos motoristas. “A oposição da atual direção sindical da garagem, pretendendo conquistar alguns adeptos, promoveu a paralisação em função do desligamento, sem justa causa de três funcionários que, pela característica da demissão, receberão todos os direitos trabalhistas a que tem direito".

A SPTrans (São Paulo Transporte S/A), que faz a gestão do sistema de transporte público por ônibus na cidade de São Paulo, informou que lamenta os atrasos praticados em 39 linhas da Viação Grajaú sem aviso prévio aos passageiros, prejudicando a população desde à meia noite e meia desta segunda-feira (9).

“A concessionária está sendo autuada automaticamente pelas viagens que não foram realizadas. A SPTrans acionou o sistema Paese para transportar os passageiros destas linhas”, informou em nota.

O Sistema Paese - Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência é acionado para oferecer opção de transporte a passageiros dos sistemas por ônibus e metroferroviário quando apresentam alguma interrupção na operação.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores da cidade de São Paulo (Sindimotoristas) infomou que cerca de mil trabalhadores da Viação Grajaú participam do protesto contra demissões indevidas entre outros assuntos. De acordo com o secretário de Saúde do Sindmotoristas, Valdemir de Jesus Santos, as reivindicações são antigas e a empresa tem ignorado o apelo dos profissionais.

“Houve a demissão injustificada de três funcionários antigos da companhia, um deles com mais de 42 anos de carreira. Além disso, há um excesso de punições indevidas, além de reclamações sobre o plano de saúde oferecido aos trabalhadores, o não pagamento de feriados, descontos por atestados assinados por médicos de Postos de Saúde, entre outros”, explicou o diretor. Segundo o Sindimotoristas, não há previsão para normalização do serviço.

A Viação Grajaú informou que vai ingressar com ação junto à Justiça de Trabalho. As linhas afetadas atendem a zona sul em direção ao Centro e abairros como Santo Amaro, Grajaú e Varginha.