Parcela da população que quer tomar vacina contra Covid-19 sobe e atinge 84%, diz Datafolha

O Globo
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO - Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada neste domingo mostra que 84% da população pretende se vacinar contra a Covid-19. Houve um incremento de cinco pontos percentuais em relação ao resultado da pesquisa de janeiro, quando 79% dos entrevistados relataram querer o imunizantes, e de 11 pontos em relação a dezembro, quando a taxa era de 73%.

Ainda segundo o levantamento, 9% da população não pretende se vacinar e 5% já recebeu pelo menos uma dose do antígeno. Em janeiro, 17% eram contra tomar a vacina. A pesquisa foi feita no início da semana passada, entre os dias 15 e 16, e ouviu 2.023 pessoas por tefefone. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Segundo o Datafolha, a proporção de quem quer ser vacinado é maior entre quem critica a gestão do presidente Jair Bolsonaro. Entre quem avalia a administração federal como ruim ou péssima, 89% quer ser vacinado. Já entre os entrevistados que acham o governo Bolsonaro ótimo ou bom, o índice cai para 76%.

Bolsonaro tem se posicionado contra as medidas de restrição de circulação, já ironizou os possíveis efeitos colaterais da vacina e chamou a Covid-19 de "gripezinha".

O institudo também questionou se a vacinação contra o coronavírus deveria ser obrigatória ou não. Neste quesito, 70% acham que deveria ser obrigatório (eram 55% em janeiro) e 30% acham que não deveria (44% há dois meses).

De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa, até este sábado (20), 11.721.357 de pessoas receram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 (5,54% da população) e 4.140.109 milhões tomaram também a segunda dose (1,96%).

Os resultados da pesquisa divulgados neste domingo (21) pelo jornal "Folha de S.Paulo" fazem parte de um levantamento maior, que já havia indicado que 76% dos brasileiros acham que a vacinação está mais lenta do que deveria e que 71% apoiam restrição de funcionamento de comércio e serviços para combater a Covid-19.