Pare de depender da Rússia, alerta Ucrânia à Europa após interrupção de fornecimento de gás

Válvula em compressor de gás perto de Varsóvia, na Polônia

Por Marek Strzelecki e Tsvetelia Tsolova e Pavel Polityuk

VARSÓVIA/SOFIA/KIEV (Reuters) - A Europa deveria parar de depender da Rússia para o comércio após Moscou interromper o fornecimentos de gás à Bulgária e à Polônia porque esses países não estavam pagando em rublos, afirmou nesta quarta-feira a Ucrânia.

A decisão russa, denunciada por líderes europeus como “chantagem” e que expôs as fraquezas e divisões dentro do continente, foi tomada no momento em que a própria economia da Rússia sofre com sanções, e enquanto países ocidentais enviam mais armas a Kiev, apesar dos alertas do Kremlin para recuarem.

A Gazprom, monopólio de exportação de gás da Rússia, suspendeu fornecimentos devido à “ausência de pagamentos em rublos”, como estipulado em um decreto do presidente russo, Vladimir Putin, que busca aliviar o impacto das sanções.

“Quanto mais cedo a Europa reconhecer que não pode depender da Rússia para o comércio, mais cedo será possível garantir estabilidade nos mercados europeus”, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

Embora a presidente da Comissão Europeia, Ursula van der Leyen, tenha dito que a decisão da Gazprom era “mais uma tentativa da Rússia de usar gás como instrumento de chantagem”, embaixadores de Estados-membros da UE pediram que houvesse uma orientação mais clara se o envio de euros violaria sanções.

A França receberá uma reunião de ministros da Energia da União Europeia em 2 de maio para discutir como lidar com a medida da Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia continuava sendo uma fornecedora confiável de energia e negou que estivesse praticando chantagem.

Ele se recusou a dizer quantos países concordaram em mudar o pagamento por gás para rublos, mas outros clientes europeus disseram que os fornecimentos estavam fluindo normalmente.

KARMA “CRUEL”

Desde que a invasão russa foi obrigada a recuar dos arredores de Kiev mês passado, Moscou concentrou suas operações no leste da Ucrânia, começando uma nova ofensiva para tomar de vez duas províncias conhecidas como Donbas.

Explosões foram ouvidas no começo da quarta-feira em três províncias russas que fazem fronteira com a Ucrânia, disseram autoridades, e um armazém de munição na província de Belgorod pegou fogo.

Kiev ainda não confirmou responsabilidade por esses e outros incidentes anteriores, mas os descreve como revanche. “Karma é uma coisa cruel”, disse o assessor presidencial Mikhaylo Podolyak, nas redes sociais.

(Reportagem adicional de jornalistas da Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos