Coreia do Sul, Japão e EUA se reúnem para preparar cúpulas com Pyongyang

Seul, 19 mar (EFE).- Os chefes de segurança nacional de Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos se reuniram neste domingo na cidade americana de San Francisco para adiantar os preparativos das cúpulas previstas com Pyongyang, informou nesta segunda-feira o governo sul-coreano.

Os responsáveis de segurança nacional sul-coreano e japonês, Chung Eui-yong e Shotaro Yachi, viajaram para os Estados Unidos para participarem de um encontro com o assessor de segurança da Casa Branca, H.R. McMaster, anunciou o escritório presidencial da Coreia do Sul em comunicado.

As três partes "mantiveram consultas sobre a completa desnuclearização da Península Coreana, e sobre as cúpulas entre as duas Coreias e entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos", afirmou o escritório presidencial sobre a reunião, da qual até agora não havia informação.

"Os participantes assinalaram a importância de não repetir os erros cometidos no passado, e concordaram em continuar trabalhando estreitamente durante as próximas semanas", acrescentou Seul no comunicado.

Desde a semana passada, Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão intensificaram seus contatos diplomáticos para preparar as cúpulas previstas entre o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e entre este último e Donald Trump.

Chung já havia viajado para os Estados Unidos no início de mês, após liderar a delegação sul-coreana que foi a Pyongyang para se reunir com o marechal norte-coreano, que fez o convite para a realização das duas cúpulas em máximo nível.

Nos últimos dias, dois funcionários do alto escalão de Pyongyang também viajaram à Suécia e à Finlândia, movimentos que aparentemente também estão destinados a acelerar os contatos diplomáticos através desses terceiros países e, em particular, para tratar da possível libertação dos três cidadãos americanos que atualmente estão presos na Coreia do Norte.

Se realmente ocorrer o encontro entre Trump e Kim, essa seria a primeira vez que os líderes da Coreia do Norte e dos EUA se reuniriam após quase 70 anos de confronto iniciado com a Guerra da Coreia (1950-1953) e de 25 anos de negociações fracassadas e tensões. EFE