Parlamentares britânicos forçam primeiro-ministro a adiar Brexit

Equipe HuffPost
British Prime Minister Boris Johnson leaves 10 Downing Street to deliver a statement to the House of Commons on the Brexit deal he has negotiated with the EU on 19 October, 2019 in London, England. Today MPs will debate and vote on Prime Minister's EU withdrawal deal including selected amendments during the first Saturday sitting of the Commons since the Falklands conflict. (Photo by WIktor Szymanowicz/NurPhoto via Getty Images)

O presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, afirmou que decidirá na segunda-feira (21) se permitirá que o governo coloque em votação o acordo do Brexit do primeiro-ministro Boris Johnson.

Há uma convenção no Parlamento de que a mesma questão não pode ser colocada duas vezes para votação durante a mesma sessão.

O governo tentou fazer com que os legisladores aprovassem o acordo neste sábado (19), mas, ao contrário, eles apoiaram uma proposta de reter apoio ao acordo até que uma legislação de ratificação formal seja aprovada.

O líder da Câmara dos Comuns, Jacob Rees-Mogg, disse que o governo planeja colocar o acordo em debate e votação na segunda-feira. 

A Comissão Europeia afirmou que o Reino Unido precisa informar os seus próximos passos assim que possível. “A Comissão Europeia está ciente da votação na Câmara dos Comuns”, disse a porta-voz Mina Andreeva, no Twitter. “Caberá ao governo britânico nos informar sobre os próximos passos assim que possível.”

Com postura desafiadora, Johnson afirmou que não negociaria outro adiamento, apesar da lei passada anteriormente que o obriga a escrever à União Europeia pedindo um adiamento além da data marcada para a saída do Reino Unido, em 31 de outubro.

LEIA MAIS:

Continue a ler no HuffPost