Parlamentares criam frente para defender Carnaval de rua em SP

*Arquivo* São Paulo, SP, 25.02.2020 - Passistas do bloco Galo da Madrugada animam foliões em São Paulo. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*Arquivo* São Paulo, SP, 25.02.2020 - Passistas do bloco Galo da Madrugada animam foliões em São Paulo. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, na noite de terça-feira (6), a criação de uma frente parlamentar em defesa do Carnaval de Rua. A iniciativa foi uma proposta da Bancada Feminista, mandato coletivo do PSOL, para que os parlamentares "atuem como mediadores do diálogo entre o poder público e o setor".

A Prefeitura de São Paulo confirmou na segunda-feira que o "Esquenta de Carnaval" vai ocorrer entre os dias 16 e 17 de julho, e abriu a licitação de patrocínio no valor mínimo de R$ 10 milhões. O prazo para inscrição vai até o dia 17 deste mês.

A covereadora do mandato coletivo do PSOL, Paula Nunes, afirma que, "com a aprovação da Frente Parlamentar nós queremos, já para este Carnaval de julho, pressionar a prefeitura para garantir a festa, com ou sem patrocinadores privados".

Ela diz ainda que a proposta da frente parlamentar também é de formulação de propostas para as próximas edições da festa de rua na capital paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos