Parlamentares ingleses querem liberar álcool nas arquibancadas

Atualmente todos os torcedores estão proibidos de beber álcool “com vista para o campo”

O álcool é vendido nos corredores dos estádios antes e durante o jogo, mas não pode ser levado para as arquibancadas. Foto: Tolga Akmen/AFP via Getty Images
O álcool é vendido nos corredores dos estádios antes e durante o jogo, mas não pode ser levado para as arquibancadas. Foto: Tolga Akmen/AFP via Getty Images

A liga inglesa de futebol deve implementar um teste que permita que alguns torcedores bebam álcool enquanto assistem aos jogos. A informação foi dada por um alto funcionário da English Football League (EFL) aos parlamentares britânicos na quinta-feira (19).

Na EFL e na Premier League, todos os torcedores estão proibidos de beber álcool “com vista para o campo”.

Leia também:

O álcool é vendido nos corredores dos estádios antes e durante o jogo, mas não pode ser levado para as arquibancadas.

Dando provas a um comitê de parlamentares na Câmara dos Comuns para um debate sobre segurança no futebol, o chefe de segurança e operações de segurança da EFL, Bob Eastwood, disse que havia “falta de provas” para apoiar a proibição total.

Eastwood falhou em defender a liberalização total das regras, como é o caso de outros esportes na Grã-Bretanha, como críquete e rúgbi, onde os torcedores são livres para beber em seus assentos.

Mas ele pediu um “piloto”, por exemplo, permitindo beber em algumas áreas do estádio e proibir em outras áreas onde os torcedores se comportam mal.

“A grande maioria dos fãs de futebol são pessoas decentes”, disse ele, condenando a prática de banir os torcedores de bares antes de certos jogos, que ele descreveu como “apenas deslocando o problema para outro lugar”.

Ele também argumentou que os clubes de futebol perderam grandes somas de dinheiro para o COVID-19 e há uma “necessidade comercial” de vender álcool.

O governo do Reino Unido está conduzindo uma grande revisão da governança do futebol.

O parlamentar Kevin Brennan levantou uma série de preocupações em apoio à proibição existente, como interromper outros torcedores, derramar álcool ao ir e voltar do bar ou do banheiro e jogar bebidas para o alto para comemorar um gol.

Em novembro, Mark Roberts, chefe da polícia de futebol do Reino Unido, condenou veementemente a ideia de liberalizar a proibição perante o mesmo comitê.

Foi o falecido Leon Brittan, Ministro do Interior do governo conservador de Margaret Thatcher, que em julho de 1985 aprovou a legislação pela qual o futebol ainda obedece.