Parlamentares pedem em ação na Justiça distribuição urgente de água e alimentos para o Amapá

RENATO MACHADO
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) ingressou na manhã desta sexta-feira (6) com uma ação popular na Justiça Federal do Amapá na qual pede que municípios, estado e governo federal usem caminhões-pipa para distribuir água para a população. O Amapá sofre há mais de 60 horas com a falta de energia elétrica, resultado de um incêndio em uma subestação de distribuição de energia elétrica que ocorreu na noite de terça-feira. O apagão atinge 14 dos 16 municípios amapaenses, onde vive cerca de 90% da população estadual. Apenas Oiapoque, no extremo norte, e Laranjal do Jari, no extremo sul, têm eletricidade. A falta de água é o maior problema enfrentado pela população local. Além da situação ter afetado a distribuição, o produto começou a faltar nos supermercados locais. Nas redes sociais, pessoas mostram fotos e vídeos de prateleiras dos estabelecimentos vazias. Desde quarta-feira, há relatos de grandes filas nos supermercados e postos de gasolina. Por causa da falta de energia, as unidades de atendimento 24 horas dos bancos não estão operando e, por isso, parte da população enfrenta dificuldades para comprar mantimentos. A ação popular ingressada pelo senador também pede a distribuição de cestas básicas e medicamentos para a população. Randolfe pede ainda que a Polícia Federal instaure um inquérito para investigar as causas do apagão e punir os responsáveis. O senador cita a empresa Isolux e o ONS (Operador do Sistema Nacional). "Que os responsáveis sejam condenados a ressarcir a cada amapaense, em especial os comerciantes, e cada um dos cidadãos pelos prejuízos que tiveram", afirmou o senador, em vídeo divulgado por sua assessoria de imprensa. Na quinta-feira, Randolfe e o deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP) já haviam acionado o Ministério Público Federal e Ministério Público do Amapá para que apurassem as causas da interrupção do serviço de energia elétrica e as condutas de agentes públicos no incidente. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), passa a manhã desta sexta-feira (6) em reuniões no Ministério das Minas e Energia. Seu gabinete informou que o senador está em constante contato com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com o ministro Bento Albuquerque para inicialmente resolver a situação e, posteriormente, apurar as responsabilidades. Uma das primeiras medidas será a instalação de um gabinete de crise, com técnicos do ministério, para atuar no Amapá. Existe a expectativa que 70% do fornecimento seja restabelecido até o fim da tarde desta sexta-feira, mas o fornecimento completo de energia elétrica só deve ser atingido em 15 dias.