Parlamento chinês abre caminho para reforma eleitoral em Hong Kong

·1 minuto de leitura
Pequim atua para desmantelar os pilares democráticos de Hong Kong desde as grandes manifestações pró-democracia de 2019

O Parlamento chinês aprovou nesta quinta-feira (11) uma reforma do sistema eleitoral em Hong Kong, que dará ao governo o direito de veto sobre os candidatos da oposição pró-democracia nas eleições legislativas.

Os quase 3.000 deputados da Assembleia Popular Nacional (ANP), ignorando as advertências dos países ocidentais, aprovaram quase por unanimidade um "projeto de decisão para melhorar o sistema eleitoral" na ex-colônia britânica.

O resultado da votação foi recebido com aplausos no enorme Palácio do Povo, sede do Parlamento em Pequim. Nenhum deputado votou contra o texto e apenas um optou pela abstenção.

Após o anúncio da reforma na semana passada, Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia advertiram o regime chinês contra um novo ataque à autonomia de Hong Kong e ao que resta de suas liberdades.

A mudança proposta na nomeação dos membros do Conselho Legislativo (Legco), o Parlamento de Hong Kong, acontece quase um ano depois da adoção por Pequim de uma lei de segurança nacional que provocou uma repressão sem precedentes dos ativistas da oposição no território autônomo.

O regime comunista promulgou a lei após os grandes protestos de 2019 contra a influência de Pequim em Hong Kong.

bar/sbr/jhd/pc/es/fp