Parlamento da UE pede que Fifa ajude a compensar famílias de trabalhadores imigrantes mortos

Construção do Estádio Khalifa em Doha

BRUXELAS (Reuters) - O Parlamento da União Europeia votou nesta quinta-feira a favor de uma resolução que pede à Fifa que ajude a compensar as famílias dos trabalhadores imigrantes que morreram, bem como trabalhadores que sofreram abusos de direitos, durante os preparativos para a Copa do Mundo.

Os eurodeputados também instaram as autoridades do Catar a conduzir uma investigação completa sobre as violações dos direitos humanos na preparação para a competição.

A resolução também condenou relatos de abusos contra a comunidade LGBTQ+ no Catar e convocou o país a descriminalizar as relações entre pessoas do mesmo sexo.

Vários eurodeputados usavam braçadeiras 'OneLove', que sete capitães europeus da Copa do Mundo desistiram de usar após pressão da Fifa.

O governo do Catar não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da Reuters.

Desde que a Fifa concedeu a Copa do Mundo ao Catar em 2010, o país mudou algumas de suas leis trabalhistas e, antes do Mundial, os organizadores disseram repetidamente que todos eram bem-vindos - embora a Human Rights Watch tenha dito que pessoas LGBT foram presas durante preparativos para a Copa do Mundo.

(Por Charlotte Van Campenhout, reportagem adicional de Andrew Mills em Doha)