Parlamento Europeu aprova proibição da venda de veículos a combustão a partir de 2035

O ano de 2035 deverá marcar o fim da venda de carros novos com motores a combustão na Europa. A decisão foi confirmada através de votação dos eurodeputados na tarde desta quarta-feira (8), em sessão plenária em Estrasburgo, na França. Por 339 votos a favor, 249 contra e 24 abstenções, eles validaram uma proposta inserida no chamado “Pacto Verde”, que visa a neutralidade de carbono em 2050.

A medida atinge em cheio à indústria automotiva. Na prática, Bruxelas vai proibir que sejam vendidos, a partir de 2035, carros particulares e caminhonetes novos que emitam dióxido de carbono (CO2) – principal gás de efeito estufa - ou seja, todos os veículos com motores a gasolina, diesel, gás e híbridos.

O resultado da votação pode ser entendido como uma mensagem aos fabricantes europeus para que acelerem a sua transição para os carros elétricos e um alerta às empresas estrangeiras para que também evoluam sua produção, caso queiram continuar fazendo negócios na Europa.

Primeiro continente a fixar o objetivo de alcançar a neutralidade climática (zero emissões) em 2050, a Europa sai na frente da comunidade internacional na determinação das primeiras medidas concretas para chegar a esse objetivo climático.

Com 13 anos para fazer evoluir a indústria mais importante da Europa em termos de emprego, entrar na era dos motores elétricos “é uma forma de proteger o clima e os empregos neste setor a longo prazo”, afirmou o eurodeputado alemão Michael Bloss (Verdes).

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Bruxelas propõe zerar emissões de CO2 de carros novos a partir de 2035
Emissões de CO2 voltam a registrar níveis tão altos quanto antes da crise sanitária, mostra estudo
"Taxa de CO2 será aceita quando houver alternativas aos combustíveis fósseis", aposta Maurício Tolmasquim

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos