Parlamento Europeu condena ataques no Brasil e pede que Bolsonaro aceite resultado eleitoral

O Parlamento Europeu condenou nesta quinta-feira(19) "veementemente" o atentado contra os Três Poderes no Brasil em 8 de Janeiro, e manifestou o seu apoio aos "esforços em curso para garantir uma investigação rápida, imparcial, séria e eficaz" do ocorrido.

Em uma resolução não vinculante aprovada por 319 votos a favor, 46 contra e 74 abstenções, os eurodeputados pediram explicitamente ao ex-presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores a "aceitarem o resultado democrático das eleições" de outubro.

O documento expressa "solidariedade ao presidente eleito democraticamente Lula da Silva, seu governo e instituições brasileiras".

O texto também aponta as conexões “entre a ascensão do fascismo transnacional, o racismo, o extremismo e, entre outros, os acontecimentos ocorridos em Brasília” e o ataque ao Capitólio dos Estados Unidos em janeiro de 2021.

Ele também menciona uma conexão com "as prisões em dezembro de 2022 relacionadas a um ataque planejado ao Bundestag (Parlamento) alemão".

No domingo, 8 de janeiro, milhares de apoiadores de Bolsonaro protagonizaram um ataque à Praça dos Três Poderes, em Brasília, onde ficam o Palácio do Planalto, o Congresso e o Supremo Tribunal Federal.

A multidão invadiu os três prédios e causou enormes danos materiais em protesto pela vitória de Lula, considerando que a eleição foi fraudada para prejudicar Bolsonaro. Como resultado dos ataques, mais de mil pessoas foram detidas.

O Ministério Público apresentou na segunda-feira as primeiras denúncias ao Supremo Tribunal Federal contra 39 pessoas suspeitas de participação nos distúrbios.

Bolsonaro deixou o país no dia 30 de dezembro e seguiu para os Estados Unidos para evitar a entrega do comando ao seu sucessor.

ahg/mar/jc