Parlamento Europeu condena declínio da liberdade de imprensa no Marrocos

O Parlamento Europeu condenou em uma resolução, nesta quinta-feira (19), o declínio da liberdade de imprensa no Marrocos e demonstrou a "preocupação" dos eurodeputados com as acusações de corrupção contra o país.

No comunicado, os eurodeputados pediram ao país africano que "respeite a liberdade de expressão e de imprensa" e "garanta um julgamento justo aos jornalistas presos" Omar Radi, Suleiman Raissuni e Taufik Buachrin.

Raissuni e Radi já haviam sido condenados por assédio sexual no ano passado, embora tenham recorrido e aguardam o resultado da apelação. Além disso, o último também foi acusado de espionagem.

Os eurodeputados pediram o "fim do assédio a jornalistas no país".

As autoridades marroquinas, no entanto, insistem em que o poder judiciário é independente e que os processos contra os jornalistas não têm a ver com sua profissão.

Em dezembro, o Parlamento Europeu foi abalado por um escândalo sobre supostas propinas pagas aos seus deputados em um caso agora conhecido como "Catargate", que também supõe envolvimento do Marrocos.

Os dois países negaram qualquer participação em atos de corrupção.

maj/ahg/mb/yr/mvv