Parlamento italiano começa a escolher novo chefe de Estado no dia 24 de janeiro

·1 min de leitura

Por Gavin Jones e Angelo Amante

ROMA (Reuters) - O parlamento italiano vai se reunir no dia 24 de janeiro para escolher um novo chefe de Estado para substituir o presidente Sergio Mattarella, que está de saída, conforme decretou o presidente da Câmara nesta terça-feira.

A eleição de um novo presidente da República pode ter grandes repercussões para o futuro do governo do primeiro-ministro Mario Draghi, que tenta conter uma nova onda de infecções pela Covid-19.

Draghi deixou claro que gostaria de se tornar presidente, o que levaria seu governo de 11 meses ao fim, e deixaria o país com a escolha de indicar um novo premiê ou de realizar eleições um ano antes do que é previsto.

No entanto, não há garantias de que o ex-presidente do Banco Central Europeu, de 74 anos, seja escolhido para o cargo.

A primeira opção dos partidos de centro-direita da Itália é o ex-primeiro-ministro por quatro vezes Silvio Berlusconi, de 85 anos.

Outras figuras consideradas para o cargo são o ex-presidente da Câmara Pier Ferdinando Casini, o ex-primeiro-ministro e a atual ministra da Justiça, Marta Cartabia.

O presidente, eleito para um mandato de sete anos, normalmente tem um papel amplamente cerimonial, mas desfruta de poderes extensivos após as eleições ou quando um governo cai. Ele tem a palavra final na indicação do primeiro-ministro e de outros membros do gabinete.

A eleição, conduzida por voto secreto entre os mais de mil parlamentares e representantes regionais, é um processo imprevisível que muitas vezes se estende por vários dias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos