Líder do Senado é encarregada a verificar se direita e M5S podem governar

Roma, 18 abr (EFE).- O chefe de Estado italiano, Sergio Mattarella, encarregou nesta quarta-feira à presidente do Senado, Maria Elisabetta Alberti Casellati, um mandato exploratório para verificar se consegue formar um Governo com a coalizão de direita e o Movimento 5 Estrelas (M5S), que até agora não chegaram a nenhum acordo.

O presidente "encarregou Maria de verificar se existe uma maioria parlamentar com os partidos de centro-direita e o M5S para a formação de um Governo", comunicou o secretário-geral do Palácio do Quirinal, Ugo Zampetti, que acrescentou que terá que informar na próxima sexta-feira sobre os resultados obtidos.

A presidente do Senado se concentrará só em verificar se as duas forças políticas que obtiveram mais votos nas eleições de 4 de março podem formar Governo.

Maria, a primeira mulher presidente do Senado e membro do partido Forza Itália, aceitou a incumbência e agradeceu "a confiança" do chefe do Estado.

O M5S não quer negociar com o Forza Itália, de Silvio Berlusconi, na coalizão de direitas; Forza Itália rejeita qualquer contato com os "grillini" e a Liga Norte veta qualquer Governo com o Partido Democrata (PD).

A presidente do Senado, muito próxima a Berlusconi durante toda a sua trajetória política, tem sobretudo o trabalho de tentar convencer o líder do M5S, Luigi Di Maio, de entrar em um Governo com o Forza Itália.

O secretário-geral da Liga Norte, Matteo Salvini, qualificou ontem a figura de Maria como "mediadora" neste momento, enquanto o líder do M5S ainda não manifestou. EFE