Parque da Serra da Tiririca, entre Niterói e Maricá, tem novo gestor; foco será em prevenção contra incêndios

Leonardo Sodré
·2 minuto de leitura
Hermes de Paula / Agência O globo

Niterói — Após protestos de ambientalistas e lideranças comunitárias que integram o conselho consultivo do Parque Estatual da Serra da Tiririca (Peset) cobrando ações efetivas na gestão da unidade de conservação, que passou 2019 sem definir prioridades, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) nomeou uma liderança local para chefiar a área de proteção. O professor Leandro Augusto da Silva, o Tetel, de uma família de pescadores tradicionais de Itaipu, assumiu o parque há duas semanas. Ele promete fortalecer ações de educação ambiental e de prevenção aos focos de incêndio.

O novo gestor da área verde de 3.400 hectares entre Niterói e Maricá é formado em Educação Física e ativista na luta pela manutenção das comunidades tradicionais na região. Como professor de alunos dos ensinos fundamental e médio, desenvolve atividades que conectam o esporte à educação ambiental, estratégia que ele pretende levar para o Peset.

— Temos 19 trilhas e estamos estudando a melhor forma de melhorar o ordenamento, informar sobre o parque e educar quem o visita. Não é só chegar aqui, fazer a trilha, conhecer o local e não saber a importância do parque. Esse trabalho de educação é fundamental para a preservação da área para as futuras gerações — considera.

Para ele, o ordenamento de duas trilhas é prioridade:

— Temos que ter uma atenção maior com o Costão, em Itacoatiara, porque é a trilha mais visitada. Já a trilha do Caminho de Darwin tem uma enorme importância para as atividades educacionais, e vamos levar muitas ações para lá.

Lista de Desafios

A nomeação de Tetel ocorreu depois que o conselho consultivo do parque, que reúne representantes de órgãos públicos, ambientalistas e lideranças comunitárias, divulgou uma carta aberta, em novembro, pedindo ao Inea a escolha de um quadro técnico. A carta acusava o órgão de falta de critério na nomeação para o cargo, e integrantes do grupo denunciaram ao GLOBO-Niterói ter havido redução da estrutura de fiscalização da unidade de conservação.

O novo gestor diz que chega para unir forças, mas reconhece as dificuldades e lista alguns desafios:

— Vamos revisar e implantar o plano de manejo, reaproximar o conselho e reativar suas câmaras temáticas. Vamos implantar o ordenamento dos atrativos turísticos, reforçar o monitoramento e as ações preventivas de incêndio — lista.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)